Alexandre Alves

Conheça Alexandre Alves, o bombeiro apaixonado por RPG que se tornou escritor

By on June 18, 2014 . Category Em Português

Alexandre Alves Ferreira tem 26 anos, é bombeiro militar e escritor. Seu livro “Mundo Verian” foi eleito o ebook da semana pela curadoria do Widbook. Saiba mais sobre este paulista nasciso e criado em Ribeirão Preto:

 

Widbook – Parabéns pelo seu ebook, Alexandre! Quanto tempo você demorou para escrevê-lo e como foi o processo criativo?

Alexandre Alves Ferreira - A obra “Mundo Verian” surgiu em 2002, só que eu ainda não sabia disso. Naquele ano, nos meus quinze anos de idade, comecei a jogar RPG e logo me apaixonei pelas incríveis aventuras. Criei minhas próprias histórias e fui narrador de jogos. Tive muitos fragmentos dessas histórias no computador, em cadernos e pedacinhos de papel. Quando ingressei no Corpo de Bombeiros, em 2008, aos 20 anos, fui morar em São Paulo. Como não tinha amizade por lá, ao invés de conhecer pessoas, voltei a escrever jogos de RPG. Um ano depois conheci minha esposa; foi aí que as coisas aconteceram. Ela, sabendo que eu gostava de aventuras e que eu já havia escrito algumas, me sugeriu juntar os fragmentos e escrever uma única história. Foi aí que então surgiu o Mundo Verian, com paisagens incríveis, personagens únicos e cativantes, e lendas inacreditáveis. Em 2012 concluí a primeira parte da grande obra, e, atualmente, estou na segunda parte dela.

 

Quais são as vantagens do Widbook, na sua opinião?

Depois que conheci o Widbook, o rumo do meu livro mudou completamente. No mercado literário atual está muito difícil publicar um livro com alguma grande editora. Tive feedback de algumas editoras, e essas se interessaram pelo meu livro, porém disseram que no momento o público alvo não seria atingido – as editoras trabalham com vendas. No Widbook, eu não precisei de burocracia; eu mesmo publiquei meu livro e o público alvo surgiu automaticamente.

 

Graças ao Widbook estou ganhando reconhecimento no mundo literário e ampliando a divulgação das minhas obras.

 

Você colaborou com o blog do Widbook na Feira do Livro de Ribeirão Preto e entrevistou o Antonio Prata. Como foi a experiência?

Quando recebi o convite para entrevistar o Antônio Prata fiquei muito contente. Primeiro por que conheceria um grande escritor; segundo pela oportunidade de trabalhar junto com o Widbook. Porém surgiu o receio. Como nunca havia entrevistado ninguém, fiquei apreensivo se faria certo, se não ficaria nervoso, se não esqueceria nenhuma pergunta, ou dissesse alguma coisa errada. Mas os integrantes do Widbook – Flávia Ferraro, Breno Spadotto, Gabriela Loschi – me deram grande suporte e dicas de como eu deveria proceder.

 

Pesquisei bastante antes sobre como entrevistar e assisti várias entrevistas para pegar dicas.

 

No dia da entrevista fiquei um pouco nervoso, mas assim que começamos a conversar fiquei tranquilo e acabou virando um bate papo legal. “Já estou pronto para outra entrevista, rs”.

 

Conte um pouco sobre sua carreira de escritor, quando começou e quais as suas aspirações.

Comecei a escrever ainda criança. Aos oito anos escrevi meu primeiro livro: “O encantador de serpentes”. A professora havia passado para lermos um livro em sala de aula e fazermos uma ilustração sobre a história. Eu preferi fazer diferente – peguei um livro onde haviam apenas ilustrações de um encantador de serpentes tentando fazer a cobra sair da caixa; como a professora deu apenas uma folha, fingi ter errado a minha e pedi mais uma; dobrei as duas folhas e colei uma dentro da outra em forma de um livrinho; fiz a capa e então escrevi a história. Naquele dia a professora ficou impressionada com minha aptidão e mostrou o livro à todas as outras professoras (e nunca mais devolveu meu livrinho), eu me apaixonei pela escrita e resolvi inventar outras historinhas. Hoje eu tenho o segundo livro do Mundo Verian em desenvolvimento, um tradutor da nossa língua para a língua de Verian, dicionário, mapas, lista de seres vivos, e várias outras coisas. Meu objetivo é completar minha obra com livros contando sobre os seres do planeta, as paisagens, os aprendizados e segredos do povo.

 

Meu maior sonho é que o mundo literário: jovens, adultos, homens, mulheres, todos, conheçam minha obra. Não tenho interesse em ser bem sucedido financeiramente, mas apenas em ter estabilidade que me propicie tempo para dedicar-me totalmente a escrever, pois, apesar de gostar muito da minha profissão bombeiro, a minha maior paixão são os livros.

 

Quais os seus autores e livros preferidos?

Sem dúvida gosto mais de livros de aventuras. Li muitos livros antes de escrever Mundo Verian. Mas o livro que mudou minha visão foi o “Senhor dos Anéis” (a trilogia), de J. R. R. Tolkien. Quando comecei a escrever eu tinha receio das pessoas não gostarem por eu ser muito detalhista, mas depois que conheci este escritor esplendido fiquei apaixonado ainda mais pela escrita. Claro que não escrevo como Tolkien, mas ele tirou essa minha preocupação. Sou apaixonado por “O Silmarillion” e “O Hobbit”, também de J. R. R. Tolkien. Gosto muito do livro “Narnia”, de C. S. Lewis, que foi também um grande escritor, amigo de Tolkien. Outra obra que gostei muito foi “Harry Potter”, da autora J. K. Rowling, pois ela trouxe algo que gosto muito que são as interligações de um livro com outro, as conexões da história; os acontecimentos do último livro tiveram significados no primeiro livro.

 

Se você pudesse mudar algo no mundo, o que seria?

A educação. A população está cada vez mais violenta, sem respeito. Falta cortesia e compaixão nas pessoas.

 

Apesar de eu ver no dia a dia muitas pessoas fazendo o bem, ainda sim há uma porcentagem significativa de pessoas com más intensões. Não tem como extinguir o mal da vivência, pois um sem o outro, o bem e o mal, não existe. Mas também não precisa ser meio a meio. Acredito que se as pessoas se dedicassem mais em ler, em estudar, a população ganharia mais cultura.

 

Certamente a imprensa mudaria, mostrando vez ou outra notícias tristes. E o resultado seria um mundo melhor, as pessoas mais humanas e com amor ao próximo.

Tags

  • José Igor

    Parabéns Alexandre!

  • Verian Sordo Carlim

    Bem legal, mas gostaria de saber de onde tirou o nome do livro, pois esse é meu nome.

  • Ivair Gomes

    Surgiu o rei… heheheh… Rei Verian Sordo Carlim… explica essa agora… fiquei curioso…

  • Danielle Jesus

    Parabéns uma bela obra.

  • Danielle Jesus

    Parabéns Alexandre, indico…muito bom o livro de aventura.

See Also

A Diary that turned into a Fan Fiction - Interview with Madeline Iverson

Read More       →