Blog-Cover (16)

Como fazer uma capa chamativa

By on December 01, 2014 . Category Em Português

Olá, meu nome é Rafael Magnani e estou estreando hoje aqui no blog do Widbook. Durante alguns anos, trabalhei com produção editorial e gráfica, sendo um dos proprietários de uma gráfica e editora de pequeno porte aqui em Curitiba.

Bem, já de cara, vamos começar com uma série de quatro artigos que visam ajudar os escritores a tirar resultados mais positivos das capas de seus livros e também se tornarem mais críticos com relação à produção desse item fundamental ao mercado editorial. Mas, devo alertar: vou tratar o assunto como se tudo dependesse somente dele. Esse primeiro artigo tem como tema a frase “Não me faça pensar”.

Certa vez, estava eu perambulando pelo mercado e encontrei um livro sobre navegabilidade na internet e o seu título maravilhoso era exatamente esse. Não preciso nem dizer que comprei na hora. Ainda mais que o título dizia: “tudo o que você precisa saber para vender mais pela internet”.

 

Para a felicidade de muitos autores, a capa é a principal responsável por um fenômeno muito conhecido na área de marketing que se chama “compra por impulso”. Para quem não sabe, é aquela que ocorre tendo como principal motivador as emoções e os sentimentos que uma pessoa tem sobre determinado assunto.

 

Para a capa do seu livro fazer um apelo correto ao seu leitor, é necessário que você o conheça muito bem. Além disso, você precisará traduzir essas informações no briefing através da capa.

 

Já reparou a quantidade absurda de livros publicados com fotos de casais, sorrindo, se abraçando, com leve desfoque, em lugares lindos? Pois é… aposto que você já consegue adivinhar de qual gênero literário estamos falando.

Do ponto de vista artístico, eu confesso que já estou bastante cansado de clichês como esse. Mas a opinião e os gostos de profissionais técnicos, como capista, editor ou até de artistas como o autor, não estão valendo muita coisa quando comparados aos números de venda.

 

Os clichês ajudam a vender pelo senso comum, ponto. Por mais que seja chato admitir, os clichês são campeões de venda. E vale para muitos assuntos entre os mais vendidos: terror, romance, fantasia…

 

O que não pode haver é vergonha de se utilizar conhecimentos e ferramentas como essa. Eu posso até entender que a genialidade de certos autores não pode ser retratada com imagens que dizem logo de cara a que se propõem, mas a realidade do mercado editorial é que o que o sustenta são resultados.

Conheço autores que querem inovar até a inovação. Querem chamar a atenção pelo absurdo e acreditam que as pessoas vão olhar as capas de seus livros e vão se sentir atraídas por uma verdadeira contradição do que estão oferecendo.

Isso não ocorre. Pelo menos não de forma massiva.

 

Então, use e abuse de itens que você sabe que seu público conhece e compra. Se você não sabe quais são, pesquise ou peça para que seu capista ou editora façam isso. É uma receitinha de bolo que não costuma falhar.

 

*Siga o Rafael no Widbook.

Tags

  • http://blogdamia.com.br/ Mia

    Olá, qual o maior tamanho para as capas dos livros? Em pixels. Obrigada.

See Also

Por que, para quem e o que escrever?

Read More       →